segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Benefcios da Laranja para o Desempenho Físico


comer laranja melhor o desempenho fisico

A laranja é uma fruta  nativa da Ásia e atualmente abrange muitos países, como: Malásia, Sul da China, Filipinas, etc.

No Brasil, ela chegou no século XVI, trazida pelos portugueses. Hoje o nosso país, lidera a produção mundial da laranja.

Ela tem muitas propriedades importantes para a nossa saúde, mas a que mais conhecemos é a Vitamina C, que é excelente para aumentar a resistência do organismo, contra resfriados e gripes.

Suas fibras melhoram o funcionamento do intestino, e ainda reduzem o mau colesterol neutralizando ainda o ácido úrico.

Além da já famosa vitamina C – presente em abundância na laranja -  ajudando no combate a gripes e resfriados, e ainda a retardar o envelhecimento precoce das células, fortalecendo o nosso sistema imunológico.

Ela possui também: ferro, magnésio, sódio, cálcio e fósforo, além das vitaminas: A e B. Sendo que o seu açúcar é facilmente assimilado pelo nosso organismo.

Quando comprar, procure escolher as mais pesadas e cuidado também porque elas devem estar bem firmes, procure levar com cuidado para não amassar e terem maior durabilidade.

Depois de lavadas adequadamente e bem secas, elas devem ser guardadas, na gaveta de baixo da geladeira, onde a temperatura é ideal.

Existem várias qualidades de laranja, a baia, por exemplo, é grande, mas não produz muito suco, ela não tem sementes e o seu sabor é muito bom.

Rica em sais minerais, flavonóides, ácidos orgânicos, fibras e vitaminas C, A e complexo B.

Uma das variedades mais consumidas da fruta é a laranja lima, porque são as mais doces, ela também é rica em fibras e tem todas as outras vitaminas presentes nos demais tipos.

Na verdade, todas as variedades da laranja, conservam praticamente as mesmas propriedades, variando apenas nas cascas mais finas ou mais grossas e também na quantidade de açúcar.

domingo, 15 de outubro de 2017

Como Voltar a Correr Depois de Muito Tempo Parado

Este artigo é para você  que parou de correr e agora quer retornar aos treinos

como retornar as corridas de rua

Quem já foi atleta um dia, porém teve que deixar a vida de treinos por alguma causa maior, sabe da dificuldade de reingressar na rotina de treinos após a perda do hábito. 
A vida de corredor exige muita dedicação, uma alimentação saudável e disposição física e psicológica para enfrentar as longas horas de treinos. 

Causas e consequências de parar de correr

Muitos corredores que abandonam o esporte sofrem algumas consequências, como o ganho rápido de peso, perda de performance e etc. 
A nova rotina que, às vezes, envolve trabalho de escritório e cuidar da família, faz com que o ex-atleta se afaste cada vez mais do sonho de voltar às competições.


Para aqueles que resolvem encarar novamente os treinos e recuperar o espírito de corredor, a decisão é difícil e pode exigir muito mais do que o planeado inicialmente. 
Alguns cuidados precisam ser tomados para que o retorno na rotina esportiva ocorra de forma eficaz e saudável. 
Confira algumas dicas que vão ajudar a recuperar a forma e mostrar o talento novamente. 

1. Volte a treinar pouco a pouco 

Muitos ex-atletas cometem o erro de achar que podem pular etapas e voltar diretamente à rotina pesada de antes. 
Porém, o organismo se desacostuma com a falta de atividade física e se for submetido a treinos pesados repentinamente, as consequências podem ser prejudiciais à saúde. 
Primeiramente, o corredor precisa ter consciência de que recuperar o físico leva tempo e é necessário ter paciência no inicio. 
Para entrar novamente com sucesso na vida de atleta, volte a correr aos poucos, uma boa dica é começar com o bom e velho objetivo dos 5km. 
O tempo de atividade e o ritmo podem ser aumentados de acordo com a resposta do organismo aos treinos. 
O tempo em que um ex-atleta leva para recuperar a capacidade física e consequentemente as habilidades aeróbicas anteriores pode variar, sendo um processo rápido para alguns, e lento para outros. 

2. Reveja a sua alimentação 

A alimentação também é um dos principais cuidados que o ex-corredor precisa tomar, principalmente para aqueles que tiveram ganho de peso durante o tempo inativo.

Para quem aumentou a massa corporal e se descuidou da alimentação, é preciso iniciar uma dieta saudável antes de mergulhar nos treinos.

Os horários das refeições precisam ser regrados, e alguns componentes como hidratos devem ficar de fora por um tempo.

Reveja a sua alimentação e tente seguir novamente a dieta da época de competições.

Consultar um nutricionista também é válido, pois o profissional pode recomendar a melhor dieta que contribua para a perda de peso e ajude o atleta a obter sucesso nos treinos. 

3. Procure os companheiros de antigamente 

Contatos e boas amizades também são importantes no mundo das competições.

Procurar os colegas de antigamente que continuam ativos pode ser uma boa maneira de reingressar no mundo das corridas.

Lembre-se que as antigas amizades são as testemunhas das suas habilidades.




O contato com atuais atletas, grupos de corrida e assessorias, também é importante para ganhar dicas e incentivos no reinicio dos treinos.

Só assim é que se voltará a sentir um corredor novamente. 

4. Renove a lista de amizades 

Além dos velhos companheiros, novos amigos que estão inseridos nas no esporte também podem ajudar no crescimento seu retorno.

Saiba quem são os nomes atuais que ecoam nas competições, conheça bem os rivais e os aliados.

Procure também manter uma boa relação com os treinadores e o grupo.

O destaque ocorre naturalmente não apenas pelo talento, mas também para aqueles que sabem a importância do trabalho em equipe.

Abraço e bom retorno ao fascinante mundo das corridas de rua.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Ácido Láctico: O "vilão dos esportes" influencia tanto assim o Desempenho?



Até pouco tempo atrás, muitos técnicos, médicos e leigos acreditavam que o ácido láctico era responsável por uma série de problemas atléticos - fadiga, dores musculares, cãibras, limiar anaeróbio e débito de oxigênio.

Porém, atualmente, essa explicação simples e única para tantos males fisiológicos perdeu seu crédito. Na verdade, reconhece-se hoje, que o ácido láctico tem importantes funções no metabolismo.

O primeiro mito a se quebrar  é que o ácido láctico apenas faz mau para o organismo


Longe de ser um "vilão", o ácido láctico é uma substância essencial, utilizada no fornecimento de energia, na eliminação do carboidrato proveniente da alimentação do atleta, na produção de glicose e no aumento da resistência física em situações extenuantes.

Novas pesquisas de desempenho esportivo têm sido responsáveis por essa forma "positiva" com a qual o ácido láctico está sendo visto.

Apesar delas reconhecerem que o acúmulo de ácido láctico no sangue e nos músculos pode interferir no estímulo nervoso de contração muscular e no processo de produção necessário para essa contração, ressaltam também que o ácido láctico é metabolizado muito rapidamente, e que a quantidade de ácido láctico no sangue e nos músculos, a qualquer instante, é extremamente menor que a grande quantidade que é continuamente formada e eliminada pelo organismo.

Sabemos hoje, que o ácido láctico é formado e eliminado continuamente e em alta velocidade, mesmo em repouso e em músculos adequadamente oxigenados.

Também, que um aumento na concentração de ácido láctico no sangue significa apenas que o índice de sua entrada no sangue excedeu o índice de sua eliminação.

Durante o repouso, a quebra da glicose parece ser a fonte principal para sua formação.

Veja no vídeo uma explicação mais detalhada das pesquisas cientificas do lactato


Como funciona o ciclo fisiológico do ácido láctico


Segundo a hipótese do Paradoxo da Glicose, o carboidrato absorvido, oriundo da alimentação, entra na circulação sanguínea principalmente na forma de glicose.

Entretanto, a maior parte ao invés de entrar no fígado, alcança a circulação geral e se distribui em diversos pontos, inclusive na musculatura esquelética, onde ocorre a conversão da glicose em ácido láctico.

Em seguida, o ácido láctico retorna à circulação onde é levado até o fígado e finalmente transformado em glicogênio.

Esta manobra fisiológica, permite a eliminação rápida do grande volume de carboidrato que chega à circulação após uma refeição rica em carboidratos.

Com isso, o organismo evita uma reação brusca à insulina o que levaria a um quadro de hipoglicemia (pico de insulina para baixo).

O ácido láctico, quando formado em locais onde há quebra de glicose ou glicogênio em alta velocidade, pode em seguida, atingir lugares onde pode servir de "combustível" para formação de glicose ou ressíntese do glicogênio.

Com o início do exercício, há uma enorme aceleração na velocidade de quebra do glicogênio muscular, na absorção e na quebra da glicose.

O aumento na quebra de glicose conduz inevitavelmente a um aumento na produção de ácido láctico.

Embora o nível de ácido láctico durante o exercício dependa de vários fatores, a duração e a intensidade do exercício são as determinantes principais.

Conseqüentemente, há um aumento na concentração de ácido láctico no sangue porque o ácido láctico do músculo é "derramado" no sangue.

Se o exercício for sub-máximo, com o decorrer do tempo, o sistema de produção de energia oxidativa e de utilização de gorduras se torna mais efetivo, o que diminui a produção de ácido láctico.

E ainda, o ácido láctico que é produzido em determinados tecidos (ex: musculatura esquelética), pode durante o próprio exercício, ser consumido por outros tecidos (ex: coração, intestino).

Isso, além de eliminar o ácido láctico, poupa também as reservas limitadas de glicogênio do organismo.

Portanto, o atleta e o técnico devem aprender a lidar com o ácido láctico de uma forma mais eficaz.

Estratégias de treinamento com "auxilio" do ácido láctico


O principal objetivo das estratégias de treinamento deve ser minimizar a produção de ácido láctico e aumentar sua eliminação.

Treinamentos de alta intensidade irão maximizar as adaptações necessárias para aumentar a utilização de oxigênio (aumentam o VO2 máx.). Em decorrência disso, o atleta se torna menos dependente da quebra de carboidratos em ácido láctico (metabolismo anaeróbio).

O treinamento prolongado sub-máximo tem a vantagem de induzir as adaptações musculares que reduzirão a velocidade de formação do ácido láctico, além de aumentar sua velocidade de eliminação.

Treinamentos que envolvem natação, ciclismo e corrida por muitos quilômetros, parecem causar um aumento máximo na capilaridade e na capacidade mitocondrial dos músculos esqueléticos.

Essa capacidade aumenta o uso de gorduras como combustível e, conseqüentemente, diminui a produção de ácido láctico.

Além disso, uma maior capacidade mitocondrial aumenta o consumo de ácido láctico como combustível energético, facilitando sua eliminação do organismo.


E aí amigo, o que achou do artigo?

Perdeu o medo ácido láctico? Espero que sim.

Abraço e continue lendo outros artigos esportivos aqui no blog A Corrida Continua.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Como se Preparar para Correr Longas Distâncias e Evitar as Lesões

Não é simples correr longas distâncias.

O corpo precisa estar preparado com muito treino e dedicação, sem contar das exigências biomecânicas impostas ao organismo.

como correr longas distâncias

A corrida de longa distância exige do atleta técnica para as diversas superfícies e uma biomecânica diferenciada das outras modalidades de corrida.

A angulação de inclinação do tronco durante a corrida varia de 5º a 9º nos corredores de longa distância, nos corredores de velocidade é de 25º e nos corredores de meio-fundo 15º”, avisa o fisioterapeuta Leonardo Signorini.

É preciso prestar atenção no corpo ao correr



Segundo o especialista, essa biomecânica consiste em movimentos corretos na passada para que não ocorra complicações durante o treinamento e leve ao surgimento de lesões. “Os pés são as primeiras estruturas que entram em contato com o solo.

Eles acabam absorvendo o impacto das passadas e podem não suportar os desgaste e sofrer vários tipos de lesões. Com a corrida, há uma maior sobrecarga de forças geradas pela ação da gravidade (peso corpóreo sobre o solo) e o contrário a essa força, ou seja, do impacto do solo sobre os pés”, diz.




Na corrida de longa distância (ou longões), as lesões mais freqüentes são as provocadas pelo estresse ou de sobrecarga, tais como fraturas de estresse, tendinites, fascite plantar, síndrome do estresse tibial medial e síndrome do trato ílio-tibial e etc.

Cuidado com o excesso de treinos


“Uma das principais lesões é a fratura por "stress", que representam 4,7% a 30% das lesões encontradas em corredores, encontradas na maioria na tíbia (49,9%), ossos do tarso (25,3%), metatarsos (8,8%), fêmur (7,2%), fíbula (6,6%), pelve (1,6%), sesamoides (0,9%) e coluna (0,6%)”, conta o fisioterapeuta.

Normalmente, de acordo com os especialistas, essas lesões surgem geralmente surge no início da temporada em que o atleta encontra-se sem preparo físico ou com mudanças de superfícies de treinamento, calçado inadequado para determinado tipo de solo, erros na periodização de treinamento, distúrbios anatômicos, biomecânicos, nutricionais e hormonais.

O pé recebe o impacto constante do solo e não resiste.

“Portanto um bom calçado para cada tipo de corrida, ameniza o problema”, aponta.

Vídeo com exercícios de para evitar lesões nas longas distâncias

Para finalizar assista a um vídeo com dicas do Marilson Gomes dos Santos para evitar as principais lesões ao correr.

 vários kms

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Você Corre com Dor? O Perigoso Hábito de Corredores Brasileiros em Relação as Lesões no Esporte

Quem pratica a corrida como forma de manter atividade física precisa prestar mais atenção à dor.

corredor amador com dor e lesão no joelho

O resultado está na pesquisa QUAC - BR, Questionário de Avaliação de Corredores - Brasil, a maior já realizada no país com o perfil do corredor amador brasileiro. 
O estudo avaliou 7.731 corredores, homens e mulheres, com idades entre 19 e 77 anos. "A pesquisa é um retrato de como o corredor amador desenvolve essa atividade e os reflexos na sua saúde", avalia o ortopedista Rogério Teixeira, vice-presidente do Comitê de Traumatologia Desportiva da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, coordenador do estudo.

A pesquisa QUAC-BR foi realizada pelo NEO - Núcleo de Estudos em Esporte e Ortopedia, também coordenado pelo médico.

Corredores não procuram ajuda ao se lesionarem

De acordo com a pesquisa QUAC - BR, 71,2% dos entrevistados declararam já ter tratado algum tipo de dor em decorrência do treino sem procurar ajuda médica para solucionar o problema.
Desse total, 30,6% admitiram ter feito uso de anti-inflamatórios por conta própria para controlar a dor e 45,9% utilizaram apenas gelo no local. 
Outros 42% resolveram interromper temporariamente o treino, o que também não é indicado, como forma de controlar dores constantes. 
"O corredor não procura um profissional habilitado antes de iniciar o treino e também não vai ao médico quando sente dor", diz Teixeira. "O risco de lesão é muito grande", completa.
Segundo o estudo, 53,1% dos entrevistados disseram já ter sofrido uma lesão que o obrigou a procurar o médico por conta do treino.

"A dor é o grande sinal de que algo está errado. E as pessoas simplesmente ignoram o alerta e continuam treinando assim que se sentem melhores", afirma Teixeira. 
"Depois disso, o que acontece, na maioria dos casos, é uma lesão muito mais complexa para o tratamento", diz. Entre as lesões mais comuns relacionadas ao treino estão fraturas por estresse, lesões no menisco, tendinites e inflamações.

Entenda o estudo sobre a dor ao correr

Foram entrevistados pela internet 7.731 corredores que fazem parte do mailing da Corpore, entidade sem fins lucrativos que estimula a prática do esporte em todo o país. Homens e mulheres, entre 19 e 77 anos, participaram da pesquisa. 
O estudo é o maior já realizado no país com validação científica sobre o perfil do corredor amador brasileiro. 

Principais resultados do estudo

A dor no corredor brasileiro

  •  71,2% declararam ter iniciado tratamento para dor em decorrência do esporte sem procurar um médico;
  •  53,1% já tiveram alguma lesão em decorrência da corrida que os obrigaram a procurar um médico;
  •  30,6% deles admitiram ter utilizado um anti-inflamatório para controlar a dor sem prescrição médica;
  •  45,9% dizem colocar apenas gelo no local quando sentem dores decorrentes da corrida;
  •  42,1% afirmaram ter interrompido temporariamente o treino por conta da dor.
  •  22% relatam ter dores na perna após o treino;
  •  18,5% admitem sentir dores no joelho após correr.

Professor da dicas de como Evitar dores e Lesões na corrida

Para finalizar e tentar evitar que você entre na estatística acima deixo um vídeo do treinador Andrei onde ele explica as causas das lesões e da dicas de como evitar as principais dores de um corredor.


quarta-feira, 28 de junho de 2017

4 Dicas de Como Fazer a Perda de Peso mais Fácil

Quase todas as pessoas fazem uma dieta para perda de peso pelo menos uma vez em sua vida.

Isto pode acontecer para uma ocasião especial, por saúde ou somente para entrar em forma mesmo.

perda de peso facil


Embora as dietas possam se tornar mais fáceis com o passar do tempo, elas também podem ser uma batalha bem dura..

Tomar suplementos pode ajudar a melhorar a maneira como você se sente enquanto faz dieta para que você não fique lutando com o seu objetivo.

Algumas dicas a serem consideradas incluem:

Pílulas Naturais para Emagrecimento:


Não presuma automaticamente que todas as pílulas para emagrecimento sejam ruins para você.

Enquanto existem algumas ruins no mercado, também existem algumas boas opções.

As pílulas naturais são sempre a melhor escolha porque são feitas com ingredientes naturais.

As ervas encontradas na natureza têm certas substâncias químicas que podem ajudar a você perder peso de várias maneiras naturalmente.

Eles são muito melhores para seu corpo do que as substâncias químicas sintéticas que nosso corpo não é capaz de processar.

Suplementos como esses têm menos efeitos colaterais e para maioria das pessoas não tem nenhum.

Fazer Exercícios:


Embora você não tenha vontade de se levantar e se exercitar para queimar calorias, é algo que você deve fazer. Quanto mais você se acostumar a fazer exercício, mas fácil se tornará.

Exercitar-se realmente irá liberar endorfinas, que o deixarão de bom humor.

Os auxiliadores de dieta fornecerão a você energia que tornará mais fácil se levantar e se exercitar, em vez de ficar deitado no sofá sem fazer nada.

Veja outras dicas de exercícios para perda de peso neste vídeo do podCast Tribo Forte



Legal as dicas destes feras em? Ouça aqui outros episódios do Tribo Forte.

Motivação para perder peso:


Mantenha uma lista de lembretes do porquê você quer perder peso e se manter em forma. Quando você estiver sentindo que um momento de fraqueza pode acontecer, leia a lista.

A maioria das pessoas persiste na dieta quando veem lembretes de quais metas eles querem cumprir.

Os suplementos dietéticos também podem ajudar com motivação porque eles têm ervas que aumentam a concentração. Isto fará com que as tentações não sejam um problema como eram no passado.

Ajuste sua Dieta:


Se você comer alimentos saudáveis, isto é o que você vai acontecer: após alguns dias, fazer uma dieta saudável ficará muito mais fácil e com menos sofrimento. Simplesmente não caia em suas tentações e você ficará no caminho certo.

Por hoje era isto espero que estas dicas lhe ajudem a perder peso e chegar ao seu objetivo.

terça-feira, 25 de abril de 2017

A Dieta do Corredor - Alimentando-se para o Dia da Corrida

Dieta do corredor pré-corrida
Como um corredor você não pode evitar a queima de muitas calorias e impedir um possível déficit de energia, especialmente quando você estiver correndo por longos períodos.

Quando você corre o seu corpo usa a glicose para fornecer a energia e combustível para sua corrida.

Quando você se exercita  de forma intensificada ou prolonga, mais hidratos de carbono são usados para gerar energia.

No entanto, o corpo tem limitado a oferta de carboidratos, e chega um ponto em que suas gorduras armazenadas são utilizadas.

E isto é uma coisa boa, certo?

Infelizmente, a decomposição de gordura é metabolicamente menos eficiente comparada com a de carboidratos. Metabolizar a gordura é muito mais lento e precisa de mais oxigênio para ocorrer. 

Todo este processo acontece quando você realmente bate no "muro". Quando você quebra isto afeta drasticamente o seu desempenho para o resto da corrida. 

Felizmente, há uma estratégia de boa nutrição para evitar isto e manter você correndo bem.

O foco de comer deve ser sobre o conteúdo de carboidratos da dieta. Fazer uma combinação e comer alimentos nutritivos não só para melhorar o seu desempenho, mas também para manter seu corpo saudável. 

Ir para dentro do supermercado não vai ser fácil dada a variedade de escolhas. Basta ter em mente que seu corpo precisa e o que ele aguenta.

Se você acredita que as escolhas alimentares não funcionaram para você, depois de uma corrida de avaliação, tente outra opção.

A chave aqui é se familiarizar com sua escolha de alimentos e ajudando que seu corpo adaptar-se em fazer a digestão, seja antes ou durante a corrida.



O plano de refeição no dia da corrida: 


Hidratos de carbono elevados, baixo teor de gordura, moderada porção de proteínas. No dia anterior a prova você não deve comer muito, pois isto pode não fazer bem para o seu sistema digestivo e prejudicar o dia da corrida. 

Em vez disso coma em pequenas porções, mas comer tão frequentemente como você pode ao longo do dia.

 O senso comum lhe dirá para evitar o álcool, desde que você não quer ficar de ressaca no dia da corrida e também evitar a formação de gás alimentos como feijão e couve-flor, então não vai sentir seu estômago inchado no dia seguinte.

Você deve também se certificar que você está hidratado durante todo o dia.

Duas a quatro horas antes da corrida, coma uma dieta de carboidratos de alta absorção. Se você estiver nervoso demais para comer, experimente o iogurte, shake ou smoothie. A coisa aqui é que você precisa de carboidratos e duas a quatro horas são muito tempo para o seu estômago para digeri-lo.

Você também deve evitar alimentos fritos. Isto levará mais tempo para seu estômago para digerir, bem como ele pode fazer seu estômago chateado. Para saber mais sobre isto recomendo a leitura do livro emagrecer de vez

Também é aconselhável verificar o tempo e saber que roupa deveria usar e planejar que tipo de comida você estará levando.

Alimentos e Bebidas para Repor sua Energias durante a Corrida


Pode trazer o desporto bebida tais como bebidas isotônicas, intercaladas com água. Não só é rapidamente absorvida pelo seu corpo, mas ele também substitui eletrólitos perdidos através do suor. 

Você também pode trazer géis, doces e barras energéticas. Lembre-se de comê-los acada 40 a 45 minutos na estrada para evitar deficiência de energia.

Realizando as sugestões acima mencionadas é uma ótima maneira de garantir um desempenho adequado durante a corrida e evitar possíveis contra tempos


segunda-feira, 24 de abril de 2017

10 Alimentos Gordurosos que Devem ser Evitados por Atletas

Confira a lista dos 10 alimentos que devemos evitar para ter um melhor desempenho esportivo



Alimentos gordurosos consumidos sem moderação, muitas vezes podem acarretar vários prejuízos a saúde. 

Como a alta taxa de glicose no sangue e muitas outras doenças, evitar estes tipos de alimentos é preservar a saúde.

Sem falar que para os atletas a má alimentação influencia negativamente no desempenho esportivo.


Gordura Trans


Pra quem quer uma longevidade maior e quer ter uma vida saudável deve evitar estes tipos de refeições:


Queijo


Esqueça aqueles mais amarelados, inclua a cottage na sua alimentação.



Carne vermelha


Prefira peixe e frango sem pele. Caso não tenha esta opção, fique com as versões que possuem menor quantidade de gordura, como o filé mignon.



Leite


Consuma apenas o desnatado, deixe fora de sua alimentação os integrais.



Óleos


Ao preparar uma receita simples que não fica muito tempo no fogo, prefira o azeite. Isso também vale para os pratos feitos até 180 ºC. No caso de receitas em altas temperaturas, use o óleo de canola.



Sorvete


Grande delícia, mas pode se tornar uma grande vilã de sua saúde. 


Consuma sorvete em dias que você teve uma alimentação leve, repleta de verdes, dia em que sua cota de gordura ainda permitir. 

Do contrário, a sobremesa deverá ser mesmo gelatina.


Bolos, biscoitos e pães


Os ingredientes necessários na produção destes alimentos costumam conter muitas gorduras saturadas. 


A melhor opção para evitar isso é incluir um deles em apenas uma das suas refeições, como no café da manhã, sempre a melhor escolha.


Manteiga e margarina


A briga entre a manteiga e a margarina parece estar longe de chegar ao fim. 


De qualquer maneira, já está comprovado que nenhuma das duas trazem benefícios à saúde. 

Então, evite ao máximo o consumo das duas.


Gordura hidrogenada e banha


Alimentos fritos costumam trazer este tipo de gordura, como é o caso da famosa batata frita. 


Refeições que precisam de óleo, prefira o azeite ou o óleo de canola mesmo.


Molhos


Em vez de um prato de salada regado com molho à base maionese, que contêm grande quantidade de gordura, prefira tempero que levam creme de leite ou iogurte.



Pele de frango


Petiscos, tipo frango a passarinho, são irresistíveis mesmo, mas pra quem quer ser saudável deve cortar qualquer prato que a ave seja preparada com a pele.


Saiba mais sobre alimentação ouvindo o PodCast TriboForte com dicas de especialistas em nutrição.

Por hoje era isto! 

Espero que este artigo lhe ajude a ter uma alimentação mais saudável. 

Abraço e a corrida continua....

quinta-feira, 2 de março de 2017

A Melhor Forma de Emagrecer Naturalmente - A Única que Funcionou para Mim


Dizem por aí que para tudo há jeito.

Então existe uma forma de emagrecer naturalmente que seja melhor que as dietas da moda?


Afirmo aqui que existe sim uma forma de emagrecer naturalmente que é eficiente. 


Só que esta forma você não a encontrará nas bancas de jornal, naquelas dietas milagrosas de revistas semanais, porque são vários fatores que contribuem para que o processo de emagrecimento natural ocorra de forma saudável e seja definitivo.

Veja alguns destes fatores:

Fatores que contribuem para o processo de emagrecimento


As dietas da moda causam furor durante todo o ano, vemos aquelas fotos nas capas de revistas, cheias de promessas que nunca se cumprem.

Aqui neste blog de saúde e boa forma eu coloco o que me auxiliou na forma de emagrecer 22 kg em 5 meses, todos os fatores que enriqueceram meu processo.

Veremos a seguir algumas dicas que podem contribuir para a forma de emagrecer.
  1. Durma mais cedo e bem – trabalhar até tarde e o cansaço estimulam a produção de grelina  (hormônio produzido no cérebro que nos avisa quando estamos com fome). Dormir bem é fundamental para o emagrecimento
  2. Menos açúcar, mais proteína – a proteína aumenta a saciedade, fazendo você sentir menos fome. Experimente tomar leite com canela quando tiver vontade de comer um doce, a canela diminui a fissura por doces.
  3. Vitamina C contra o estresse – quando estamos estressados, os níveis de cortisol (hormônio que controla nosso sistema emocional) se alteram e a vitamina C, da laranja por exemplo, auxilia no seu equilíbrio.
  4. Coma gordura – há alguns tipos de gordura que facilitam o processo de emagrecimento é o Omega 3, que encontramos em amêndoas, castanhas, nozes, salmão, abacate.
  5. Respire devagar – quando estamos tensos, tendemos a aumentar o ritmo da respiração piorando a ansiedade. A respiração mais lenta pelo nariz e com relaxamento do abdômen promove maior queima de gordura, pois aumenta sua capacidade respiratória.

Completando o processo de emagrecimento do seu corpo


Além das dicas deste post, preciso te falar de um fator extra que foi essencial para melhorar a minha forma de emagrecer e torná-la definitiva: o programa de emagrecimento Causas Reais do Ganho de Peso.

Este programa é curso curso gratuito de uma série de 3 videos que em apenas uma semana transformou a minha mente e tudo que eu pensava que sabia sobre como emagrecer de verdade.

Este programa mandou embora toda a descrença e desânimo que eu havia acumulado em tantos anos de dietas rápidas que só me trouxeram desgosto.

Este programa das Causas Reais do Ganho de Peso é a forma de emagrecer ideal para quem quer uma solução definitiva para perder peso.

Eu criei este blog para ajudar as pessoas que passam pelo que eu passei, sofrerem menos que eu.

Por isso, compartilhe suas experiências comigo.

Como vai sua forma de emagrecer? Quais resultados você vem conseguindo?

Para finalizar gostaria de dizer que estou utilizando tudo que aprendi neste programa  para manter o meu peso ideal e não passar pelo frustante efeito sanfona.

Espero que você também consiga chegar ao seu peso ideal, a boa forma sonhada e principalmente ter a saúde que você merece.

Abraço e adeus peso extra.